quinta-feira ,24 setembro 2020
Home / Geral / Nutricionista do Himaba dá dicas para alimentação da mãe durante o período de amamentação

Nutricionista do Himaba dá dicas para alimentação da mãe durante o período de amamentação

Durante os últimos dias, o Hospital Estadual Infantil e Maternidade Dr. Alzir Bernardino Alves (Himaba), em Vila Velha, administrado pelo Instituto Gnosis, realizou diversas ações em alusão à Semana Mundial de Aleitamento Materno, que se encerra nesta sexta-feira (07). Por isso, a equipe do setor de Nutrição aproveitou a data e percorreu as enfermarias da Maternidade para um bate-papo com as mamães dos recém-nascidos sobre a alimentação das puérperas, durante o período de amamentação.

Com a chegada do bebê, a rotina da mãe muda bastante, mas é preciso estar atenta à própria alimentação uma vez que a criança ainda recebe os nutrientes necessários ao seu desenvolvimento através do leite materno e, por isso, a alimentação saudável continua sendo importante.

O leite materno é o alimento completo para crianças de 0 a 6 meses de idade. Nele, estão contidas as quantidades ideais de água, carboidratos, gorduras e proteínas que a criança precisa. Na composição do leite materno também encontramos um conjunto de bactérias que promovem a colonização de uma microbiota intestinal (também conhecida como flora intestinal) saudável, além de componentes imunológicos. Assim, a mãe passa para o bebê anticorpos, como se fosse uma vacina.

De acordo com a Nutricionista do Himaba, Heloisi Passos, a alimentação da mãe também deve ser observada para que a mulher não sofra nenhuma deficiência de vitaminas e minerais. “O corpo da mulher vai fazer de tudo para garantir a qualidade nutricional do leite. Por isso, a preocupação com a saúde da mãe neste momento. Não há uma “dieta” ideal, mas a principal orientação é manter uma alimentação balanceada”, explicou.

Dicas de alimentação

  • “Descasque mais, desembale menos” – dar máxima preferência aos alimentos em seu estado natural para realizar o preparo das refeições. Se você precisa desembalar um alimento é muito provável que este não seja tão rico em nutrientes e contenha os “antes” que não são interessantes (estabilizante, adoçante, emulcificante…) que são substâncias químicas adicionadas pela indústria.
  • Não pular refeições. Existe uma grande preocupação para que se recupere a forma física anterior a gestação, mas isso deve ser feito com um acompanhamento de um nutricionista, que irá calcular as necessidades de macro e micronutrientes, assim como distribuir isso durante o dia para que você não passe fome.
  • Consumir bastante água. Nos primeiros meses a mulher pode chegar a produzir de 600 a 900ml de leite por dia. A recomendação geral é de ingerir aproximadamente três litros de água por dia, mas o importante é que a mulher não sinta sede.
  • No almoço e jantar, monte um prato colorido, com bastante verduras e legumes. Não há necessidade de cortar o feijão e o arroz da alimentação! Já para proteínas, recomenda-se entre 120g e 160g de carne ou dois ovos, caso a mulher não coma carnes.
  • Chás nunca devem ser ofertados aos bebês até o sexto mês de vida, mas Chás calmantes, como camomila, erva-doce, melissa e cidreira, estão liberados para as mamães, pois estes ajudam a relaxar a mãe e também a criança.
  • Para uma noite mais tranquila, uma ótima opção de ceia para a mulher é um chá calmante com kiwi, ou laranja (com bagaço). Lembrando que o bebê tem necessidade de mamar durante a noite e este é o horário de maior liberação de prolactina, hormônio que estimula a produção do leite materno, então ainda haverá mamadas durante a noite.
  • Alguns alimentos que a mãe consome podem ter influência na produção de gases do bebê e outros podem gerar reações alérgicas na criança. Nesses casos, é realizada investigação com conjunto com o pediatra da criança e com o nutricionista para que se realize restrição destes alimentos na alimentação da mãe.

O Himaba

Mantido pelo Governo do Estado, o Hospital Estadual Infantil e Maternidade Dr. Alzir Bernardino Alves (Himaba), em Vila Velha, é administrado desde o dia 6 de novembro de 2019 pelo Instituto Gnosis, por meio de um contrato de gestão firmado com a Secretaria da Saúde (Sesa).

O Instituto Gnosis se destina à prestação de serviços de saúde, incluída a assistência médica, hospitalar e de serviços auxiliares de diagnóstico e terapia, sempre observada a excelência da atuação, obtida pela aplicação das melhores práticas de gestão em saúde disponíveis no mercado, por meio, ou não, de convênios firmados com organismos públicos ou privados, prática esta que possibilita o desenvolvimento, aplicação e o gerenciamento de novos produtos, métodos e processos educativos e de gestão, entre outros, na área da saúde.

Você pode Gostar de:

Dez mil voluntários serão testados contra a Covid-19 em nova fase

A vacina para combater a Covid-19 que possui os testes mais avançados no mundo, segundo …