quarta-feira ,22 setembro 2021
  • canal tempo real no youtube
Home / Geral / “Ela assassinou minha sobrinha” diz tia da jovem morta em Guarapari

“Ela assassinou minha sobrinha” diz tia da jovem morta em Guarapari

A tia de Franciane Bueque da Silva, Angelita Bueque da Silva, disse emocionada que a sobrinha foi assassinada, “aquilo ali não foi acidente de trânsito, ali foi um assassinato, assassinou minha sobrinha”.

Franciane Bueque da Silva, deixa dois filhos adolescentes

Ela deu essa declaração na manhã desta sexta-feira (27), na porta do Departamento Médico Legal em Vitória, onde os parentes estavam para liberação do corpo da jovem para sepultamento.

Parque Areia Preta onde aconteceu toda a ação Foto: Tell Miranda

De acordo com tia, a sobrinha era mãe de dois adolescentes de 12 e 15 anos, “uma menina guerreira, não tem vício nenhum, ela trabalhava em um quiosque, sempre trabalhou para criar os filhos. Ela é pai e mãe dos filhos dela”.

A família está abalada com a forma que a jovem perdeu a vida, após ser derrubada de propósito da moto CG 125 onde estava na garupa com o companheiro Webster Luiz Lopes, 19 anos.

Webster está internado em um hospital de Vitória

O motoboy foi socorrido com várias escoriações pelo corpo e com traumatismo craniano. Apesar da gravidade das lesões, a irmã informou que ele “está bem” e internado em um hospital de Vitória.

Após derrubar o casal, a condutora arrastou a moto por mais de 600 metros Foto: Tell Miranda

A condutora do veículo modelo Fox Karen keithy Moraes Ferreira 36 anos, derrubou os dois de propósito da moto depois de uma discussão de trânsito. Ela foi presa em flagrante.

Karen keithy Moraes Ferreira foi presa

Ela contou para os policiais militares que fez toda a ação com muita raiva, e como justificativa, disse que o motociclista fez uma ultrapassagem irregular e chutou o retrovisor do veículo dela.

Karen keithy Moraes Ferreira foi levada algemada para a delegacia de Guarapari e autuada por homicídio consumado e tentativa de homicídio.

O delegado informou que ela foi fria no depoimento e não mostrou arrependimento. Na delegacia ela se negou a responder as perguntas do delegado e disse que só vai se pronunciar em juízo.

Um grupo de motoboys fez uma manifestação pacífica na noite desta quinta-feira (26), na frente da delegacia onde comemoram a prisão da mulher.

Você pode Gostar de:

Empresário morto em queda de avião já foi proprietário de fazenda com 28 escravos na BA

O empresário Celso Silveira Mello Filho, morto na queda do avião com outras 6 vítimas em …