sábado ,21 setembro 2019
Home / Geral / Bolsonaro prega “tolerância zero com criminalidade” para reduzir queimadas na Amazônia

Bolsonaro prega “tolerância zero com criminalidade” para reduzir queimadas na Amazônia

O presidente Jair Bolsonaro, em pronunciamento em rede nacional nesta sexta-feira (23), pregou “tolerância zero com a criminalidade” ao comentar a ação de seu governo para combater o crescente número de queimadas na Amazônia.

Presidente Jair Bolsonaro realizou pronunciamento em rede nacional nesta sexta-feira (23) para tratar da crise ambiental na Amazônia – Foto: EVARISTO SA/AFP/Getty Images

Em sua fala, o presidente ressaltou que a floresta Amazônia é “parte essencial da nossa história e de tudo o que nos faz sentir brasileiro”, além de destacar suas “riquezas incalculáveis”.

Bolsonaro, que chegou a sugerir que ONGs estariam por trás do crescente número de queimadas [declaração que gerou uma repercussão muito negativa], disse que não bastam apenas fiscalização e controle na região. “Somos um governo de tolerância zero com a criminalidade. Com a Amazônia não será diferente”, garantiu.

Segundo o presidente, todos os Estados da região que solicitarem a atuação das Forças Armadas serão atendidos. “Com relação àqueles que a aceitarem, autorizarei operação de Garantia da Lei e da Ordem, uma verdadeira GLO ambiental”, disse em referência ao decreto assinado na tarde desta sexta-feira.

Na tentativa de amenizar as críticas que sua política ambiental vem recebendo, o presidente afirmou que a ocorrência de incêndios é comum na região. “Todos os anos, infelizmente, ocorrem queimadas. Em anos mais quentes, como em 2019, elas ocorrem com maior frequência. Mesmo que não estejam fora da média [de queimadas] dos últimos 15 anos, não estamos satisfeito com o que estamos assistindo”, declarou.

Na última quinta-feira (22), Bolsonaro entrou em conflito com Emmanuel Macron após o presidente francês pedir que a crise na Amazônia fosse pauta do G7, encontro de potências mundiais que acontece neste final de semana.

No que parece ter sido mais uma resposta às críticas vindas do continente europeu, o presidente pediu “serenidade” para tratar da questão e criticou o “uso político” que, de acordo com ele, gera apenas “desinformação”.

Na sequência, Bolsonaro exaltou o potencial brasileiro no quesito ambiental. “Somos exemplos de sustentabilidade. Temos uma lei ambiental moderna e um código florestal que deveria servir de modelo para o mundo inteiro”.

Ao final, o presidente disse não esperar punições devido a atuação de seu governo na Amazônia. “Incêndios florestais existem em todo o mundo, isso não pode servir de pretexto para possíveis sanções internacionais”, concluiu.

“Panelaço” ao redor do país

O “panelaço”, protesto que ficou famoso durante os pronunciamentos de Dilma Rousseff (PT), foi registrado em diversas capitais do país. Nas redes sociais, críticos do governo compartilharam seus registros demonstrando a reação negativa gerada pelas declarações de Bolsonaro em rede nacional.

Fonte: Yahoo

Você pode Gostar de:

Secretaria de Estado da Cultura abre chamamento para eventos em todo o Estado

A Secretaria de Estado da Cultura (Secult) abriu um edital de chamamento para selecionar e …